Jovem que atirou em motorista após capotar carro é preso.

Carro capotado em rua de Jardim da Penha, em Vitória (Foto: VC no ESTV)


O jovem Gustavo Simonassi de 21 anos que capotou um carro e depois baleou um motorista, em Jardim da Penha, Vitória, já tinha três passagens na polícia, antes da ocorrência deste domingo (1). Ele foi transferido para um presídio, na manhã desta segunda-feira (2). Na delegacia, o preso disse que atirou para se proteger de uma suposta agressão. A vítima falou que foi tentar socorrer o motorista acidentado após a capotagem. Gustavo havia batido no carro da vítima e fugido do local do acidente. O acidente aconteceu por volta das 14h30 de domingo. Gustavo foi seguido pelo outro motorista, entrou em uma rua pela contramão, bateu em mais dois veículos e capotou. Ao sair do carro, ele atirou no morista que teve o carro batido por ele anteriormente. O jovem é de classe média alta e não possui porte de armas. Confusão com jornalista Na transferência de Gustavo da delegacia para a prisão, houve confusão entre a família e jornalistas que trabalhavam no local. Familiares tentaram impedir que Gustavo fosse filmado. A mãe dele dificultou o trabalho da imprensa no local. Assista ao vídeo da confusão: Transferência de jovem que capotou carro e atirou em motorista tem confusão “Eu me defendi. Eles vieram para cima de mim”, falou Gustavo, ao sair do Departamento Médico Legal (DML). Por causa desta prisão, Gustavo acumulou mais cinco autuações: tentativa de homicídio, porte ilegal de arma, disparo de arma de fogo em via pública, posse de droga para uso pessoal e dano ao patrimônio público. Capotagem e tiros Segundo testemunhas, o condutor Gustavo Simonassi havia batido na traseira do carro do motorista baleado, em Jardim da Penha, e fugido do local do acidente. A vítima, que estava com a esposa e a filha de cinco anos, foi atrás do causador da batida. Ao ver que o carro do suspeito tinha capotado, o motorista lesado desceu do carro. Nesse momento, o suspeito saiu do veículo capotado já atirando. Gustavo estava na Delegacia de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória, onde prestou depoimento, na manhã desta segunda-feira (2), antes de ser transferido para um presídio. A reportagem tenta contato com os advogados de Gustavo desde domingo, mas eles ainda não se manifestaram.Fonte:G1.