Propaganda

Beauty



Ainda não se sabe o que teria causado o incêndio na garagem de ônibus do Consórcio Salvador Norte, que aconteceu na madrugada desta segunda-feira (29). Mas, de acordo com a delega títular da 6ª Delegacia (Brotas) Francineide Moura, a polícia deve utilizar imagens de câmeras de segurança e ouvir funcionários que estavam no momento em que as chamas se espalharam destruindo mais de 60 veículos e causando um prejuízo de pelo menos R$ 12 milhões. Na manhã desta segunda, um dos diretores da empresa prestou depoimento na 6ª Delegacia. Ele não deve o nome divulgado. Ainda de acordo com a delegada, para a polícia, o diretor informou que ficou sabendo do incêndio poucos minutos depois de os veículos começarem a pegar fogo, por volta das 0h. Ele estava em casa quando recebeu a ligação de um dos funcionários que estava na garagem tentando controlar o fogo. No entanto, o diretor, não soube informar o que teria provocado as chamas. O incêndio, conta a delegada, começou no meio da garagem onde estavam estacionados os coletivos. Eles estavam já enfileirados em ordem de saída. No momento do incêndio cerca de 40 pessoas estavam no local. Parte delas devem prestar depoimento nos próximos dias. Foto:Mauro Akin Nassor/do Correio 24h "O fogo começou do meio para o fim. Na garagem estavam eletricistas, vigias e ajudantes de limpeza que vão prestar depoimento", acrescenta a delegada. Ao todo, 240 veículos estavam estacionados no local. A Salvador Norte conta com 874 ônibus, além de 80 veículos da frota reserva. Eles ficam em cinco garagens. Além da que foi atingida pelo incêndio, há duas em Pirajá e duas em São Cristóvão. Segundo Daniel Mota, diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários, o fato dos tanques dos veículos estarem cheios no momento do incêndio contribuiu para uma reação em cadeia. "Toda noite os tanques são cheios com óleo (diesel). As explosões dos tanques cheios foram fulminantes, o que provocou uma sequência de explosões", conta o diretor de comunicação. Incêndio As chamas começaram em um coletivo por volta das 0h e se alastrou para os outros veículos que estavam estacionados no pátio, que fica na Avenida Santiago de Compostela, na garagem da antiga empresa BTU, no Parque Bela Vista, Brotas. Segundo informações do Centro Integrado de Comunicações (Cicom) da Secretaria da Segurança Pública (SSP), uma testemunha ligou para polícia por volta de 0h20. As explosões assustaram moradores durante a madrugada. O Corpo de Bombeiros foi acionado e a situação só foi controlada por volta de 4h20. De acordo com o secretário de Urbanismo e Transporte, Fábio Mota, 47 ônibus foram completamente incendiados e cerca de 10 ficaram parcialmente queimados. No total, afirma Mota, 60 veículos estão fora de circulação. Os ônibus que foram destruídos atingidos pelas chamas atendiam aos bairros da Brotas, Santa Cruz, Pituba, Boca do Rio, Rio Vermelho, Vale das Pedrinhas e Nordeste de Amaralina. Durante a madrugada alguns veículos de outras empresas foram remanejados para tentar diminuir os prejuízos.Fonte:Nilson Marinho, do Correio 24h

Funcionários de empresa que perdeu mais de 60 ônibus em incêndio serão ouvidos.



Ainda não se sabe o que teria causado o incêndio na garagem de ônibus do Consórcio Salvador Norte, que aconteceu na madrugada desta segunda-feira (29). Mas, de acordo com a delega títular da 6ª Delegacia (Brotas) Francineide Moura, a polícia deve utilizar imagens de câmeras de segurança e ouvir funcionários que estavam no momento em que as chamas se espalharam destruindo mais de 60 veículos e causando um prejuízo de pelo menos R$ 12 milhões. Na manhã desta segunda, um dos diretores da empresa prestou depoimento na 6ª Delegacia. Ele não deve o nome divulgado. Ainda de acordo com a delegada, para a polícia, o diretor informou que ficou sabendo do incêndio poucos minutos depois de os veículos começarem a pegar fogo, por volta das 0h. Ele estava em casa quando recebeu a ligação de um dos funcionários que estava na garagem tentando controlar o fogo. No entanto, o diretor, não soube informar o que teria provocado as chamas. O incêndio, conta a delegada, começou no meio da garagem onde estavam estacionados os coletivos. Eles estavam já enfileirados em ordem de saída. No momento do incêndio cerca de 40 pessoas estavam no local. Parte delas devem prestar depoimento nos próximos dias. Foto:Mauro Akin Nassor/do Correio 24h "O fogo começou do meio para o fim. Na garagem estavam eletricistas, vigias e ajudantes de limpeza que vão prestar depoimento", acrescenta a delegada. Ao todo, 240 veículos estavam estacionados no local. A Salvador Norte conta com 874 ônibus, além de 80 veículos da frota reserva. Eles ficam em cinco garagens. Além da que foi atingida pelo incêndio, há duas em Pirajá e duas em São Cristóvão. Segundo Daniel Mota, diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários, o fato dos tanques dos veículos estarem cheios no momento do incêndio contribuiu para uma reação em cadeia. "Toda noite os tanques são cheios com óleo (diesel). As explosões dos tanques cheios foram fulminantes, o que provocou uma sequência de explosões", conta o diretor de comunicação. Incêndio As chamas começaram em um coletivo por volta das 0h e se alastrou para os outros veículos que estavam estacionados no pátio, que fica na Avenida Santiago de Compostela, na garagem da antiga empresa BTU, no Parque Bela Vista, Brotas. Segundo informações do Centro Integrado de Comunicações (Cicom) da Secretaria da Segurança Pública (SSP), uma testemunha ligou para polícia por volta de 0h20. As explosões assustaram moradores durante a madrugada. O Corpo de Bombeiros foi acionado e a situação só foi controlada por volta de 4h20. De acordo com o secretário de Urbanismo e Transporte, Fábio Mota, 47 ônibus foram completamente incendiados e cerca de 10 ficaram parcialmente queimados. No total, afirma Mota, 60 veículos estão fora de circulação. Os ônibus que foram destruídos atingidos pelas chamas atendiam aos bairros da Brotas, Santa Cruz, Pituba, Boca do Rio, Rio Vermelho, Vale das Pedrinhas e Nordeste de Amaralina. Durante a madrugada alguns veículos de outras empresas foram remanejados para tentar diminuir os prejuízos.Fonte:Nilson Marinho, do Correio 24h