Propaganda



A Polícia Federal (PF) cumpriu oito dos 11 mandados de prisão preventiva durante a segunda fase da Operação Última Estação, deflagrada na manhã desta terça-feira, 12, para combater o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro promovidos por integrantes da facção criminosa Bonde de Maluco (BDM). Um dos alvos foi o traficante conhecido como Rafinha, que assumiu a liderança do grupo após a morte do antigo líder, Marcelo Batista dos Santos, o "Marreno".

A ação, realizada por 150 policiais federais, militares e civis, foi realizada em Salvador, Porto Seguro, Alagoinhas, Dias D'Ávila, Camaçari e Serrinha. Fora do estado, as buscas também ocorreram nas cidades de Aracaju (SE), Maceió (AL) e Goiânia (GO).

"O foco é justamente o combate à lavagem de dinheiro dessa facção criminosa. que vem crescendo ultimamente aqui na Bahia. A primeira fase iniciou com a morte do então líder da facção, conhecido como 'Marreno', onde foi encontrado com eles, naquela ocasião, documentos falsos. Através desses documentos , a Polícia Federal conseguiu identificar que ele construiu um significativo patrimônio", explica o delegado da PF Fábio Marques.

Com o andamento das investigações, Rafinha - que era braço direito de Marreno - foi identificado como novo líder do BDM. Um dos alvos dos mandados de prisão preventiva, Rafinha já se encontrava detido no presídio de Serrinha desde o período das investigações. Além dele, outros dois alvos também já estavam presos no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Dos total de mandados, três foram cumpridos no bairro de São Cristóvão, em Salvador, um em Barra de Jacuípe e um em Alagoinhas, sendo este último contra a companheira de Rafinha. Na casa dela, foram apreendida a quantia de R$ 23 mil. Outros R$ 6 mil foram apreendidos em Goiânia.

O delegado estima que, durante o período de investigações, a organização tenha lavado cerca de R$ 5 milhões, com a aquisição de imoveis e a movimentação de valores em contas bancárias.

Além dos mandados de prisão preventiva, estava previsto o cumprimento de seis mandados de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão. Também foi solicitado o bloqueio das contas bancárias de 22 investigados. 

Etapas da operação

A segunda fase da Operação Última Estação foi iniciada a partir das investigações subsequentes da primeira etapa, em setembro deste ano. Na época, foram apreendidos e bloqueados mais de R$ 40 mil do traficante Marreno. Ele foi morto em confronto com a polícia, há aproximadamente um mês, antes da operação ser instaurada.

Após as investigações, os policiais identificaram outros integrantes da organização criminosa que agia na lavagem de dinheiro. Os suspeitos movimentavam o dinheiro do tráfico em contas bancárias de terceiros ou abertas ilicitamente. Com a quantia, eles adquiriram imóveis, além de outros bens em nome de outras pessoas.

Seis integrantes da quadrilha foram presos durante a primeira fase. Também foram apreendidos cerca de 40 quilos de maconha, cinco fuzis, uma pistola de calibre restrito, além de três carros usados pelos criminosos. Na ocasião, outros três veículos roubados também foram recuperados.

Operação policial cumpre mandados em Camaçari, Dias D’Ávila Serrinha e Salvador.



A Polícia Federal (PF) cumpriu oito dos 11 mandados de prisão preventiva durante a segunda fase da Operação Última Estação, deflagrada na manhã desta terça-feira, 12, para combater o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro promovidos por integrantes da facção criminosa Bonde de Maluco (BDM). Um dos alvos foi o traficante conhecido como Rafinha, que assumiu a liderança do grupo após a morte do antigo líder, Marcelo Batista dos Santos, o "Marreno".

A ação, realizada por 150 policiais federais, militares e civis, foi realizada em Salvador, Porto Seguro, Alagoinhas, Dias D'Ávila, Camaçari e Serrinha. Fora do estado, as buscas também ocorreram nas cidades de Aracaju (SE), Maceió (AL) e Goiânia (GO).

"O foco é justamente o combate à lavagem de dinheiro dessa facção criminosa. que vem crescendo ultimamente aqui na Bahia. A primeira fase iniciou com a morte do então líder da facção, conhecido como 'Marreno', onde foi encontrado com eles, naquela ocasião, documentos falsos. Através desses documentos , a Polícia Federal conseguiu identificar que ele construiu um significativo patrimônio", explica o delegado da PF Fábio Marques.

Com o andamento das investigações, Rafinha - que era braço direito de Marreno - foi identificado como novo líder do BDM. Um dos alvos dos mandados de prisão preventiva, Rafinha já se encontrava detido no presídio de Serrinha desde o período das investigações. Além dele, outros dois alvos também já estavam presos no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Dos total de mandados, três foram cumpridos no bairro de São Cristóvão, em Salvador, um em Barra de Jacuípe e um em Alagoinhas, sendo este último contra a companheira de Rafinha. Na casa dela, foram apreendida a quantia de R$ 23 mil. Outros R$ 6 mil foram apreendidos em Goiânia.

O delegado estima que, durante o período de investigações, a organização tenha lavado cerca de R$ 5 milhões, com a aquisição de imoveis e a movimentação de valores em contas bancárias.

Além dos mandados de prisão preventiva, estava previsto o cumprimento de seis mandados de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão. Também foi solicitado o bloqueio das contas bancárias de 22 investigados. 

Etapas da operação

A segunda fase da Operação Última Estação foi iniciada a partir das investigações subsequentes da primeira etapa, em setembro deste ano. Na época, foram apreendidos e bloqueados mais de R$ 40 mil do traficante Marreno. Ele foi morto em confronto com a polícia, há aproximadamente um mês, antes da operação ser instaurada.

Após as investigações, os policiais identificaram outros integrantes da organização criminosa que agia na lavagem de dinheiro. Os suspeitos movimentavam o dinheiro do tráfico em contas bancárias de terceiros ou abertas ilicitamente. Com a quantia, eles adquiriram imóveis, além de outros bens em nome de outras pessoas.

Seis integrantes da quadrilha foram presos durante a primeira fase. Também foram apreendidos cerca de 40 quilos de maconha, cinco fuzis, uma pistola de calibre restrito, além de três carros usados pelos criminosos. Na ocasião, outros três veículos roubados também foram recuperados.