Propaganda

Beauty



Nesta quinta-feira (28) os médicos de Camaçari deflagraram greve por tempo indeterminado. De acordo com o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindmed), em assembleia, os profissionais fizeram uma avaliação positiva da paralisação e discutiram ainda a liminar que a Prefeitura conseguiu junto à Justiça determinando a volta ao trabalho. A decisão está sendo contestada pelo Sindicato, que aproveitará a oportunidade para apresentar ao judiciário os fatos que motivaram a greve, reafirmando o descaso dos gestores com a saúde do município. Ainda segundo o Sindmed, as condições de trabalho constituem o objeto principal da greve, além da reposição das perdas inflacionárias. O sindicato afirma que os médicos já estão há três anos sem reajuste salarial e que a paralisação só veio após várias tentativas de negociação, sempre frustradas pela Prefeitura. A assembleia aprovou ainda ações para incrementar o movimento e denunciar condições de trabalho precárias. Nesse sentido, o Sindicato informa que será produzido um ato político-cultural em defesa da saúde de Camaçari, com atividades de música, teatro e outras manifestações artísticas num local público da cidade a ser definido. Também está na pauta a realização de debates com entidades como os ministérios públicos do Estado e do Trabalho, associações de moradores, igrejas, Câmara e com a própria Prefeitura Municipal. Os médicos participarão também de um ato público de protesto, na terça-feira (02), em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nova Aliança, promovido pela comunidade representada pela Associação dos Moradores dos PHOCs e da Gleba C. Uma nova assembleia já está agendada para a próxima quinta-feira (04), às 19h30, na sede do Sindimed.Fonte:Camaçari noticias.

Crise na saúde: médicos de Camaçari entram em greve.



Nesta quinta-feira (28) os médicos de Camaçari deflagraram greve por tempo indeterminado. De acordo com o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindmed), em assembleia, os profissionais fizeram uma avaliação positiva da paralisação e discutiram ainda a liminar que a Prefeitura conseguiu junto à Justiça determinando a volta ao trabalho. A decisão está sendo contestada pelo Sindicato, que aproveitará a oportunidade para apresentar ao judiciário os fatos que motivaram a greve, reafirmando o descaso dos gestores com a saúde do município. Ainda segundo o Sindmed, as condições de trabalho constituem o objeto principal da greve, além da reposição das perdas inflacionárias. O sindicato afirma que os médicos já estão há três anos sem reajuste salarial e que a paralisação só veio após várias tentativas de negociação, sempre frustradas pela Prefeitura. A assembleia aprovou ainda ações para incrementar o movimento e denunciar condições de trabalho precárias. Nesse sentido, o Sindicato informa que será produzido um ato político-cultural em defesa da saúde de Camaçari, com atividades de música, teatro e outras manifestações artísticas num local público da cidade a ser definido. Também está na pauta a realização de debates com entidades como os ministérios públicos do Estado e do Trabalho, associações de moradores, igrejas, Câmara e com a própria Prefeitura Municipal. Os médicos participarão também de um ato público de protesto, na terça-feira (02), em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nova Aliança, promovido pela comunidade representada pela Associação dos Moradores dos PHOCs e da Gleba C. Uma nova assembleia já está agendada para a próxima quinta-feira (04), às 19h30, na sede do Sindimed.Fonte:Camaçari noticias.